Luís Vaz de Camões - Apolo e as Nove Musas Descantando





Luís Vaz de Camões - Apolo e as Nove Musas Descantando


Apolo e as nove Musas, descantando

Com a dourada lira, me influíam

Na suave harmonia que faziam,

Quando tomei a pena, começando:


Ditoso seja o dia e hora, quando

Tão delicados olhos me feriam!

Ditosos os sentidos que sentiam

Estar-se em seu desejo traspassando!


Assim cantava, quando amor virou

A roda à esperança, que corria

Tão ligeira, que quase era invisível.


Converteu-se-me em noite o claro dia;

E se alguma esperança me ficou,

Será de maior mal, se for possível.




 Luís Vaz de Camões - Apolo e as Nove Musas Descantando

Conteúdo correspondente: