MENU

Poema

Nome maldito - Augusto dos Anjos

Das trombetas proféticas o alarde 
Falou-lhe, por seus onze augúrios certos: 
"E maldito o teu nome! E aos céus abertos, 
Não há divina proteção que o guarde!" 


Nome maldito - Augusto dos Anjos - Poema

Das trombetas proféticas o alarde 
Falou-lhe, por seus onze augúrios certos: 
"E maldito o teu nome! E aos céus abertos, 
Não há divina proteção que o guarde!" 

Dúvidas cruéis! Momentos cruéis! Incertos 
E cruéis momentos! Ânsias cruéis! E, à tarde, 
Saiu aos tombos, como um cão covarde, 
A percorrer desertos e desertos... 

E, assombrado, com medo do Infinito, 
Por toda a parte, onde, aos tropeços, ia, 
Por toda a parte viu seu nome escrito! 

Vieram-lhe as ânsias. Teve sede e fome... 
E foi assim que ele morreu um dia 
Amaldiçoado pelo próprio nome! 



More by SANDERLEY

TRENDS - SONG LYRICS
Radar by Sanderlei
Everything in the musical world / Tudo que rola no mundo musical / ทุกอย่างในโลกดนตรี / Все в музыкальном мире / 音楽界のすべて.

Just Go - Viagem Volta ao Mundo
#JustGo - Sanderlei Silveira